quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Vale Ver... e Ouvir.

Vale Ver....
Som do céu e maravilhamente apresentado no Baixo e Voz, (Sergio e Marivone no Nossa Música Brasileira 2008).
Confira.
video

Recomendação....



Queridos,

No garimpo de cada dia, deparei-me com um texto fantástico do Ariovaldo Ramos, sobre um encontro que acho maravilhoso no Novo Testamento. Uma mulher sedenta, nem tanto de água, mas de restauração e intimidade com Deus, e que, devido às suas escolhas da vida, a fizeram distanciar mais ainda de Deus e dos outros.
O diálogo desta mulher com Jesus aparentemente não é muito claro para nós, mas esta paráfrase e esplicação do Ariovaldo, é muito enriquecedor...
Deixo a recomendação, e o link da matéria.

De Perdão em perdão.

http://www.irmaos.com/artigos/?id=2580


Texto biblico - João 4:

Jesus, cansado da viagem, sentou-se à beira do poço. Isto se deu por volta do meio-dia. 7 Nisso veio uma mulher samaritana tirar água. Disse-lhe Jesus: "Dê-me um pouco de água". 8 (Os seus discípulos tinham ido à cidade comprar comida.) 9 A mulher samaritana lhe perguntou: "Como o senhor, sendo judeu, pede a mim, uma samaritana, água para beber?" (Pois os judeus não se dão bem com os samaritanos.{3} ) 10 Jesus lhe respondeu: "Se você conhecesse o dom de Deus e quem lhe está pedindo água, você lhe teria pedido e ele lhe teria dado água viva". 11 Disse a mulher: "O senhor não tem com que tirar água, e o poço é fundo. Onde pode conseguir essa água viva? 12 Acaso o senhor é maior do que o nosso pai Jacó, que nos deu o poço, do qual ele mesmo bebeu, bem como seus filhos e seu gado?" 13 Jesus respondeu: "Quem beber desta água terá sede outra vez, 14 mas quem beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede. Ao contrário, a água que eu lhe der se tornará nele uma fonte de água a jorrar para a vida eterna". 15 A mulher lhe disse: "Senhor, dê-me dessa água, para que eu não tenha mais sede, nem precise voltar aqui para tirar água". 16 Ele lhe disse: "Vá, chame o seu marido e volte". 17 "Não tenho marido", respondeu ela. Disse-lhe Jesus: "Você falou corretamente, dizendo que não tem marido. 18 O fato é que você já teve cinco; e o homem com quem agora vive não é seu marido. O que você acabou de dizer é verdade". 19 Disse a mulher: "Senhor, vejo que é profeta. 20 Nossos antepassados adoraram neste monte, mas vocês, judeus, dizem que Jerusalém é o lugar onde se deve adorar". 21 Jesus declarou: "Creia em mim, mulher: está próxima a hora em que vocês não adorarão o Pai nem neste monte, nem em Jerusalém. 22 Vocês, samaritanos, adoram o que não conhecem; nós adoramos o que conhecemos, pois a salvação vem dos judeus. 23 No entanto, está chegando a hora, e de fato já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade. São estes os adoradores que o Pai procura. 24 Deus é espírito, e é necessário que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade"

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

RESTAURAÇÃO DE DEUS...




A prática da restauração é a arte de nos colocarmos contritamente nas mãos do divino Oleiro para que ele refaça o vaso quebrado e lhe dê a forma e a beleza anteriores, depois de qualquer escorregão e queda, depois de qualquer período de frieza espiritual e crise existencial, depois de qualquer escândalo e desastre de natureza religiosa, depois de qualquer aborrecimento com a igreja militante e ressentimento ou revolta contra Deus.


O estado quebrado em que se encontra o crente pouco ou muito tempo depois de um fracasso, grande ou pequeno, não é necessariamente seu estado final. Deus deixou essa certeza impressa nos olhos e na memória do profeta Jeremias ao levá-lo à casa de certo oleiro, em cujas mãos havia um vaso que se estragou. Em vez de jogar fora o vaso estragado, o oleiro o refez, moldando outra peça com o mesmo barro. Em seguida, o Senhor perguntou ao profeta: “Não podereis eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel” (Jr 18.6).

São os vasos quebrados que precisam parar nas mãos do divino Oleiro para serem outra vez modelados. Embora igualmente desintegrados e esvaziados do resplendor antigo, nem todos os vasos têm a mesma história, mas todos carentes de encontrar Restauração nAquele que lhes pode Restaurar.



A capacidade do Restaurador

Basta passar os olhos na história da redenção para você descobrir ou redescobrir a capacidade sem medida do Restaurador. Não importa o tamanho dos estragos. Nem as diferentes áreas em que se deram os estragos.

1. Restauração física

Deus restaura a saúde ao doente (Is 38.16), a vista ao cego (Lc 18.42), a fala ao mudo (Mc 7.35) e o juízo ao endemoninhado (Mc 5.15.) Devolve à posição ereta a mulher por dezoito anos encurvada (Lc 13.13). Restaura a mão até então ressequida (Lc 6.10.).


2. Restauração espiritual

Deus restaura o homem da queda e do pecado, justificando-o, santificando-o e glorificando-o. Ressuscita-o de entre os mortos. Dá-lhe corpo novo, revestido de incorruptibilidade e de imortalidade (1 Co 15.53). Torna-o igual a Jesus Cristo (Rm 8.29-30; 2 Co 3.18; Fp 3.20-21; 1 Jo 3.2).


3. Restauração do culto

Deus restaura o altar, o tabernáculo, o templo, os muros e a cidade de Jerusalém, as tribos de Israel e a glória de Jacó (Ne 2.2). Restaura a sorte de Judá e de Israel, edificando-os como no princípio (Jr 33.7).


4. Restauração ecológica

Deus restaura o planeta que o homem poluiu e estragou. Estende outra vez a camada de ozônio. Despolui rios, lagos, mares, praias e oceanos. Replanta a flora e recria a fauna. Cria novos céus e nova terra (2 Pe 3.13). Redime a criação do cativeiro da corrupção “para a liberdade da glória dos filhos de Deus” (Rm 8.21).


5. Restauração final

Deus em Cristo tira o pecado do mundo, refaz o que o homem fez de errado. A história não termina com a notícia de que “por um só homem entrou o pecado no mundo” (Rm 5.12), mas com a notícia de que Jesus é “o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (Jo 1.29).







A restauração de Davi

É quase inacreditável que um homem como Davi, a quem se atribui a autoria de 73 dos 150 salmos e que possuía certos traços de caráter muito especiais (1 Sm 24.6; 26.8-11; 2 Sm 23.13-17; 1 Cr 21.18-27), tenha descido tanto e cometido pecados tão grosseiros depois de uma carreira acentuadamente bem-sucedida e depois de conquistar a admiração de todo o povo. Os pecados desse “mavioso salmista de Israel” (2 Sm 23.1) não foram banais. Davi cometeu adultério com Bate-Seba, cujo esposo não era judeu, mas teria abraçado o judaísmo. Nessa ocasião, Urias, o heteu, mencionado como um dos trinta e sete valentes de Davi (2 Sm 23.39), achava-se ausente do lar por estar a serviço do exército de Israel no assédio à Rabá (2 Sm 11.1). O segundo grande pecado de Davi foi o assassinato de Urias, “com a espada dos filhos de Amom” (2 Sm 12.9). Ele matou um homem virtuoso, que não aceitava privilégios se outros estivessem privados deles (2 Sm 11.6-13). Curiosamente, neste sentido, Urias era muito parecido com o rei — Davi também não quis beber a água do poço de Belém porque ela quase custou a vida de seus amigos (2 Sm 23.13-17). O terceiro grande pecado de Davi foi a conexão dos dois primeiros pecados com a hipocrisia. Ele não estava interessado no bem-estar de Urias quando mandou buscá-lo na frente da batalha e trazê-lo para Jerusalém. O rei queria apenas que ele se deitasse com a mulher para que a gravidez dela fosse atribuída ao esposo. O presente que Davi lhe deu era um instrumento para beneficiar o rei, e não o valente oficial do exército. Mais grave ainda foi a encenação de Joabe e de Davi para justificar a morte de Urias perante a opinião pública. Foi um caso de extrema corrupção, da qual Bate-Seba não parece estar isenta (2 Sm 11.6-27).

Ora, depois de tanta miséria, o autor do salmo que descreve a onisciência e a onipotência de Deus (Sl 139) ficou em pandarecos (Sl 6.2-3), sob o peso esmagador da mão de Deus (Sl 32.4) e dentro de um tremedal de lama (Sl 40.2). Ele gastou pelo menos nove meses para reconhecer e confessar tudo de errado que havia feito (2 Sm 12.13, 14; Sl 32.5). Suplicou a misericórdia de Deus na forma de perdão para o pecado (Sl 6.1-7) e na forma de purificação para a injustiça (Sl 51.1-12). Aceitou a morte da criança, o incesto de Amnom, as trapalhadas de Absalão, a provocação de Simei, a maldade de Aitofel, a morte de Absalão e a sedição de Seba — como conseqüências diretas ou indiretas de seu mau exemplo (2 Sm 12.10-12).

O processo de restauração tinha de incluir todos esses acontecimentos e demorou mais de dez anos. Ao cabo de tudo, Davi recuperou o prestígio, a autoridade, o trono, a comunhão com Deus, a delicadeza de seu caráter, as bênçãos de Deus e a experiência de que “onde abundou o pecado, superabundou a graça” (Rm 5.20). É ele mesmo quem conta: “De todos os meus filhos, porque muitos filhos me deu o Senhor, escolheu ele a Salomão para se assentar no trono do reino do Senhor, sobre Israel” (1 Cr 28.5). Ora, esse Salomão era filho “da que fora mulher de Urias” (Mt 1.6). Criado pelo profeta Natã (2 Sm 12.25), o mesmo que acusou Davi de adultério, Salomão foi também escolhido por Deus para edificar o Templo do Senhor em Jerusalém (1 Cr 28.6). O ponto mais alto da graça de Deus, porém, está na presença de Davi e Bate-Seba na árvore genealógica de Jesus Cristo, ao lado da virtuosa Maria e de algumas mulheres (Tamar, Raabe e Rute), que jamais estariam ali se não fosse a maravilhosa e soberana graça de Deus (Mt 1.1-17). A Bíblia registra também que Davi “morreu em ditosa velhice, cheio de dias, riquezas e glória” (1 Cr 29.28). Talvez este seja o mais extraordinário exemplo de restauração de toda a Escritura!



A restauração de Pedro



A maneira como Jesus restaurou a vida de Pedro é uma verdadeira aula de psicologia e terapia pastoral. O apóstolo havia cometido vários erros: não levou a sério o aviso de Jesus de que o negaria por três vezes consecutivas, não se lembrou de que a temperatura do ambiente espiritual não é obrigatoriamente a mesma em circunstâncias diferentes (a diferença era enorme entre o Cenáculo e o Getsêmani) e emitiu cheques de valores muito altos sem o necessário suprimento: “Ainda que me seja necessário morrer contigo, de nenhum modo te negarei” (Mt 26.35). Por causa dessa falta de avaliação adequada e justa, Pedro negou o Senhor as três vezes consecutivas e ficou arrasado: “E, caindo em si, desatou a chorar” (Mc 14.72). Logo ele, a quem Jesus havia dito na presença de todos: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja” (Mt 16.18).

A pública restauração de Pedro se deu a menos de quarenta dias depois da ressurreição de Jesus, num cenário idêntico ao de sua chamada para ser pescador de homens, cerca de três anos antes (compare Lc 5.1-11 com Jo 21.1-23). Depois da pesca maravilhosa e da refeição, ali mesmo na praia, estando todos reunidos em torno do Senhor ressuscitado, sem mais nem menos, Jesus perguntou três vezes consecutivas a Pedro se ele o amava, dando ao apóstolo a oportunidade de declarar também por três vezes consecutivas em voz alta o seu amor por Jesus. A cada resposta de Pedro, o Senhor lhe dizia: “Apascenta as minhas ovelhas”. No final daquele encontro, a tríplice indagação, a tríplice declaração de amor e a tríplice comissão haviam cancelado emocionalmente a tríplice negação de Pedro, livrando-o da “excessiva tristeza” (2 Co 2.7), curando-o de qualquer complexo e tirando-o outra vez da pesca para o apostolado (Jo 21.15-23). Os textos que contam o fracasso e a restauração de Pedro, mostram sucessivamente os cinco diferentes estados emocionais do apóstolo: Pedro seguro demais, Pedro simples demais, Pedro covarde demais, Pedro triste demais e Pedro apaixonado demais.

Fonte: www.Ultimato.com.br (revista ultimato)

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Jesus, o Incomparável


Nestes dias que cercam o natal, o mais importante é lembrarmo-nos do aniversariante, e o que Ele representa para nós.



Tudo em Cristo me deixa perplexo.
Seu espírito me intimida, e sua vontade me confunde.
Entre ele e qualquer outra pessoa do mundo, não existe termo possível de comparação. Ele é verdadeiramente um ser por si mesmo [...]
Procuro em vão na história encontrar o semelhante a Jesus Cristo, ou qualquer coisa que se possa aproximar do evangelho.
Nem a história, nem a humanidade, nem os séculos, nem a natureza me oferecem qualquer coisa com a qual possa compará-lo ou explicá-lo.
Aqui tudo é extraordinário.
(Napoleão)


Quanto mais eu estudava Jesus, mais difícil se tornava classificá-lo. Ele falou pouco sobre a ocupação romana, o assunto principal das conversas de seus conterrâneos, mas pegou um chicote para expulsar do templo judeu os pequenos aproveitadores. Insistia na obediência à lei de Moisés, enquanto adquiria a reputação de transgressor da lei. Poderia ser tomado de simpatia por um estrangeiro, mas afastou o melhor amigo com a dura repreensão: “Para trás de mim, Satanás!”. Tinha opiniões inflexíveis sobre os homens ricos e as mulheres de vida fácil, mas ambos os tipos desfrutavam de sua companhia.
Um dia os milagres pareciam fluir de Jesus; no dia seguinte seu poder ficava bloqueado pela falta de fé das pessoas. Um dia falava em pormenores sobre a segunda vinda; no outro, não sabia o dia nem a hora. Fugiu de ser preso uma vez e marchou inexora¬velmente rumo à prisão em outra. Falou eloqüentemente sobre a pacificação, e depois disse a seus discípulos que procurassem espadas. Suas reivindicações extravagantes colocaram-no no centro da controvérsia, mas, quando fazia alguma coisa realmente miraculosa, procurava ocultá-lo. Como disse Walter Wink, se Jesus nunca tivesse vivido, não poderíamos tê-lo inventado.


Vão dizer a João o que viram por aqui.
Digam-lhe que há pessoas que venderam seus cães-guias e estão observando pássaros.
Digam-lhe que há pessoas que trocaram suas bengalas de alumínio por botas de andarilhos.
Digam-lhe que os desanimados se transformaram em pessoas empreen¬dedoras e uma porção de pessoas exaustas está vivendo pela primeira vez na vida.
(Mateus 11.4,5 - Paráfrase de Frederich Buechner)

Trechos retirados do livro O Jesus que eu nunca conheci, de Philip Yancey.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Amor que fere e cura.



Como prometi (a alguns estudantes que compartilham comigo), um texto intenso e profundo do Nouwen, que retirei do site da Ibab. Boa leitura.


“Os humanos sofrem bastante. Muito, para não dizer a maior parte, do nosso sofrimento tem origem na relação com aqueles que nos amam. Estou constantemente ciente de que a minha agonia profunda provém, não dos terríveis eventos que leio nos jornais ou vejo na televisão, mas da relação com as pessoas com quem partilho a minha vida diária. São precisamente os homens e mulheres, que me amam e que estão muito perto de mim, os que me ferem. À medida que ficamos mais velhos, geralmente vamos descobrindo que nem sempre fomos bem amados. Com frequência, os que nos amaram também nos usaram. Os que se interessaram por nós foram, por vezes, também invejosos. Os que nos deram muito, por vezes, exigiram também muito em troca. Os que nos protegeram quiseram também possuir-nos nos momentos críticos. Habitualmente, sentimos a necessidade de esclarecer como e por que é que estamos feridos; e, com frequência, chegamos à alarmante descoberta de que o amor que recebemos não foi tão puro e simples como tínhamos julgado.

É importante esclarecer estas coisas, especialmente quando nos sentimos paralisados por medos, preocupacões e anseios obscuros que não compreendemos.

Mas compreender as nossas feridas não basta. Ao fim, temos que encontrar a liberdade para passar por cima das nossas feridas e a coragem para perdoar aos que nos feriram. O verdadeiro perigo está em ficarmos paralisados pela raiva e pelo ressentimento. Então começaremos a viver o complexo do 'ferido', queixando-nos sempre de que a vida não é 'justa'.

Jesus veio livrar-nos destas queixas auto-destrutivas. Ele nos ensina a por de lado as nossas queixas, perdoar os que nos amaram mal, passar por cima da sensação que temos de sermos rejeitados e ganharmos coragem para acreditar que não cairemos no abismo do nada, mas no abraço seguro de Deus cujo amor curará todas as nossas feridas.”

[Henri Nouwen]

domingo, 29 de novembro de 2009

Multiplicação das Células 2009



Dia 22 de Novembro de 2009.
Um dia de festa para a Primeira Igreja Batista em Santa Fé do Sul, foi nossa multiplicação das células.
O culto é uma festa. Muitas canções abençoadissimas, testemunhos, fotos, lembranças, diplomas para os líderes, auxiliares, supervisores e coordenadores.
Bexigas para todo lado e de todo o gosto.
Mensagem. Meditações.
Incentivo, motivação, renovação, entusiasmo, esperanças renovadas. Novos amigos, novos irmãos, novos visitantes, novos desafios.
É um recomeço, uma repetição é verdade, ou mesmo uma volta ao passado, de retomar a Missão que Cristo nos deixou ainda no tempo apostólico. É gratificante poder participar da vida de uma igreja dinâmica assim, com seus erros e falhas, mas experimentar o poder de Deus, a alegria do Espírito, o Senhorio de Cristo na vida de gente simples, gente amada, gente salva.
Foi assim, e assim será até a volta de nosso Mestre.
Vem com gente também!
Abraços.
Pr Eliezer - Nov/2009

Fotos de algumas células deste ciclo encerrado.
http://www.slideshare.net/eliezeralmeida/celulas2009-fotos

sábado, 28 de novembro de 2009

Mau Humor




"Falhamos por ignorar a maneira como somos feitos; atribuimos nossas falhas ao diabo, em vez de atribui-las à nossa própria natureza indisciplinada...
Há certas coisas pelas quais não devemos orar - mau humor, por exemplo. O mau humor não é expulso com oração, é expulso a pontapés... quase sempre tem a ver com a nossa condição física, e não espiritual. Requer-se um esforço contínuo para não se dar lugar ao mau humor, cuja origem está na condição física; não se entregue a ele nem por um segundo. Temos que nos agarrar a nós mesmos pelo colarinho e nos sacudirmos, e então descobriremos que podemos fazer tudo que pensávamos que não poderíamos fazer. Isso é tomada de posição."


Tudo para Ele, 20/Maio
Oswald Chambers

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Mundo Moderno - Chico Anýsio



Deparei-me com um vídeo do Programa do Jô (ano de 2000), com uma declamação fantástica do Chico Anysio, de um texto de sua própria autoria. Além da métrica, da poesia, e da difícil tarefa de começar todas as palavras com a mesma letra, é um texto inteligentissimo. Repasso o texto, que vale a reflexão, e nos instiga a ação.


Mundo Moderno
Chico Anysio

Mundo moderno, marco malévolo, mesclando mentiras, modificando maneiras, mascarando maracutaias, majestoso manicômio. Meu monólogo mostra mentiras, mazelas, misérias, massacres, miscigenação, morticínio – maior maldade mundial.

Madrugada, matuto magro, macrocéfalo, mastiga média morna. Monta matungo malhado munindo machado, martelo, mochila murcha, margeia mata maior. Manhãzinha, move moinho, moendo macaxeira, mandioca. Meio-dia mata marreco, manjar melhorzinho. Meia-noite, mima mulherzinha mimosa, Maria morena, momento maravilha, motivação mútua, mas monocórdia mesmice. Muitos migram, macilentos, maltrapilhos. Morarão modestamente, malocas metropolitanas, mocambos miseráveis. Menos moral, menos mantimentos, mais menosprezo. Metade morre.

Mundo maligno, misturando mendigos maltratados, menores metralhados, militares mandões, meretrizes, maratonas, mocinhas, meras meninas, mariposas mortificando-se moralmente, modestas moças maculadas, mercenárias mulheres marcadas.
Mundo medíocre. Milionários montam mansões magníficas: melhor mármore, mobília mirabolante, máxima megalomania, mordomo, Mercedes, motorista, mãos… Magnatas manobrando milhões, mas maioria morre minguando. Moradia meia-água, menos, marquise.

Mundo maluco, máquina mortífera. Mundo moderno, melhore. Melhore mais, melhore muito, melhore mesmo. Merecemos. Maldito mundo moderno, mundinho merda.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

No escuro.




Veio o apagão. Em meio a tanta escuridão, sai tateando em minha própria casa, temendo tropeçar em algo que não sabia se estava ali, ou se esquivar no nada que temia estar a frente.
Num ritmo lento, enquanto tantas coisas se passavam na cabeça, desde os motivos daquele momento, como os nomes dos possíveis responsáveis, que horas depois tive que vergonhosamente reconhecer estar errado, como também os propósitos daquela hora. Tanta coisa passa enquanto percorro do quarto para a cozinha procurando as velas para iluminar minha terrível escuridão. Tanta coisa... tanto nada.
Mas se não me serviu de nada, a não ser o exercício do pensar e procurar algo tão bem guardado no fundo de uma gaveta qualquer, serve agora para refletir, e refletindo o escuro, muitas vezes encontro a luz.
Quisera eu sempre encontrar luz no fim do tunel, mesmo que não a procure, mas dela me envolva. Pos ao final, tudo se mostra tão diferente do imaginado, pensado e desejado.
Fica aqui o aprendizado, como na oração de Thomas Merton....


Tu Não És Como O Tenho Imaginado
Senhor, é quase meia-noite e estou Te esperando na escuridão e no grande silêncio.
Lamento todos os meus pecados.
Não me deixe pedir mais do que ficar sentado na escuridão, sem acender alguma luz por conta própria, nem me abarrotar com os próprios pensamentos para preencher o vazio da noite na qual espero por Ti.
Deixa-me virar nada para a luz pálida e fraca dos sentidos, a fim de permanecer na doce escuridão da Fé pura.
Quanto ao mundo, deixa-me tornar-me para ele totalmente obscuro para sempre. Que eu possa, deste modo, por esta escuridão, chegar enfim à Tua claridade.
Que eu possa, depois de ter me tornado insignificante para o mundo, estender-me em direção aos sentidos infinitos, contidos em Tua paz e Tua glória.
Tua claridade é minha escuridão. Eu não conheço nada de Ti e por mim mesmo nem posso imaginar como fazer para Te conhecer.
Se eu te imaginar, estarei errado.
Se Te compreender, estarei enganado.
Se ficar consciente e certo que Te conheço, serei louco.
A escuridão me basta.

Thomas Merton

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Consolo na Cruz!



Não, queridas almas,
não há consolo em nada senão no amor da cruz e no total abandono;
quem não experimenta a cruz, não experimenta as coisas de Deus (Mt 16,23).
É impossível amar a Deus sem amar a cruz;
um coração que experimenta a cruz, considera as coisas mais amargas uma doçura:
"quem está com o estômago cheio rejeita até o mel, mas, para quem está com fome até a comida amarga é doce'" (Pr 27,7); pois, ela tem fome de Deus, na proporção de sua fome pela cruz.
Deus nos dá a cruz e a cruz nos dá Deus.

Madame Guyon, Experimentando as profundezas de Jesus através da Oração, p.20

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Vivendo.




"Plantei árvores, tive filhos, escrevi livros,
tenho muitos amigos e, sobretudo, gosto
de brincar. Que mais posso desejar? Se eu
pudesse viver minha vida novamente, eu a
viveria como a vivi porque estou feliz
onde estou."

Rubem Alves


Eu não tenho a lista tão extensa de feitos como o Rubem Alves, mas faço côro com ele sobre a felicidade da vida. Não mereço tanta alegria que tenho recebido, tantas oportunidades que me são dadas, tantas pessoas que encontrei ou fui encontrado no caminho do viver, tanta graça e amor que é derramado sobre mim por Aquele que tanto me amou que deu a vida por mim.
Mas também aprendi que não posso fazer por merecer, mas sim, posso fazer valer.
Desejo viver, desejo aprender e crescer, para que a cada dia possa não apenas desfrutar de tais alegrias mas também fazer outros desfrutarem comigo.
Sou grato a Deus, mas profundamente devedor enquanto tantos não conseguem experimentar de tanto que Ele tem para dispensar.
Por isso espero por mais graça, para mediante a essa graça fazer o que me cabe em espalhar tanto deste amor que me inspira o viver.
Vou indo, andando, vivendo, também dormindo, descansando e esperando no Senhor.
Eliezer

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Você é Aceito...




A fé descrita por Paul Tillich em sua famosa obra The shaking of the foundations:
"A graça nos atinge quando estamos em grande dor e desassossego. Ela nos atinge quando andamos pelo vale sombrio da falta de significado e de uma vida vazia...
Ela nos atinge quando, ano após ano, a perfeição há muito esperada não aparece, quando as velhas compulsões reinam dentro de nós da mesma forma que têm feito há décadas, quando o desespero destrói toda alegria e coragem.
Algumas vezes naquele momento uma onda de luz penetra nossas trevas, e é como se uma voz dissesse:
'Você é aceito.
Você é aceito, aceito pelo que é maior do que você, o nome do qual você não conhece.
Não pergunte pelo nome agora; talvez você descubra mais tarde.
Não tente fazer coisa alguma agora; talvez mais tarde você faça bastante.
Não busque nada, não realize nada, não planeje nada.
Simplesmente aceite o fato de que você é aceito'.
Se isso acontece conosco, experimentamos a graça".

Tirado de:
O Evangelho Maltrapilho,
Brennan Menning
Cap.1

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Oração...

Oração de John Baillie:

“Ensina-me ó Deus, a utilizar todas as circunstâncias de minha vida hoje, de modo que elas possam produzir em mim os frutos da santidade e não do pecado”,
Que eu use a decepção como matéria-prima da paciência.
Que eu use o sucesso como matéria-prima da gratidão.
Que eu use a tribulação como matéria-prima da perseverança.
Que eu use o perigo como matéria-prima da coragem.
Que eu use a censura como matéria-prima do sofrimento prolongado.
Que eu use os elogios como matéria-prima da humildade.
Que eu use os prazeres como matéria-prima da temperança.
Que eu use a dor como matéria-prima da resistência.
(Oração, Phillip Yancey- p.297)

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Só por Ele!




"Senhor nosso Deus, quando estamos com medo,
não permita que desesperemos.
Quando estamos desapontados,
não permitas que a amargura tome conta de nós.
Quando nosso entendimento e nossa força se esgotarem,
não nos deixe perecer!
Que sempre sintamos a Tua presença e o Teu amor!
Karl Barth, 1886-1968, Teólogo Suíço


2 Corintios 4.7-11
7Porém nós que temos esse tesouro espiritual somos como potes de barro para que fique claro que o poder supremo pertence a Deus e não a nós.
8Muitas vezes ficamos aflitos, mas não somos derrotados. Algumas vezes ficamos em dúvida, mas nunca ficamos desesperados.
9Temos muitos inimigos, mas nunca nos falta um amigo. Às vezes somos gravemente feridos, mas não somos destruídos.
10Levamos sempre no nosso corpo mortal a morte de Jesus para que também a vida dele seja vista no nosso corpo.
11Durante a vida inteira estamos sempre em perigo de morte por causa de Jesus, para que a vida dele seja vista neste nosso corpo mortal.


É assim,
Só por Ele,
Só nEle,
E para Ele.
Ele,
Jesus!

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Maior empresa do mundo - EU!




Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,
Mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo.
E que posso evitar que ela vá a falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver
Apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e
Se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos, mas ser capaz de encontrar
Um oásis no recôndito da sua alma .
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um 'não'.
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.

Pedras no caminho?
Guardo todas, um dia vou construir um castelo...

(Fernando Pessoa)

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Preciso de Outras Mãos



Frase usada pela Dra. Roseli M. Kühnrich de Oliveira
na palaestra dada no Primeiro Congresso "Igreja Terapêutica", em Campo Grande/MS,
que tive a grata satisfação de participar juntamente com amados aqui da PIB em Santa Fé do Sul, onde estamos no caminho...

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Inacabados...



Um menino, enquanto brincava no chão, era acompanhado por sua mãe, que cuidando do filho ocupava-se de seu bordado. O menino, curioso como qualquer outro de sua idade, perguntou a mâe o que ela fazia com tanto apresso, e que ele, olhando de onde estava, na perspectiva baixa não entendia nada dos riscos e rabiscos que se formava.
A mãe, respondeu carinhosamente que também brincava, e assim criava seus desenhos.
Todo dia repetia-se a cena, o bordado avolumava-se, crescia e o menino ainda sem entender nada daquelas estranhas formas questionava a artista. Ela respondia:
- Filho, vai brincar que no momento em que você puder entender o que estou fazendo eu te mostro do lado certo.
Até que o dia chegou, depois de um bom tempo, a mãe chama o menino para que subisse ao seu colo, e quando ele pode contemplar a obra de sua mãe da forma que ela o via, ficou maravilhado:
- Mãe, que lindo esse quadro que pintou, esse riacho formoso, com o gramado verdinho e os cavalos correndo ao fundo. Que lindo mãe, mas como eu não conseguia ver isso?
- Filho, disse a mãe, quando se olha um bordado inacabado pelo lado do avesso, normalmente parece confuso, estranho e feio de ser visto. Mas para quem está bordando, e do lado certo de se olhar, a paisagem se forma de uma forma completa.

Não é assim a vida? As vezes olhamos para cima, fitamos o céu, e reclamamos dos traços que o artista está dando, nos contornos que ainda não entendemos:
- Pai, o que o Senhor está fazendo comigo?
E, parece que ele está pronto a responder:
- Filho, eu estou ainda bordando a sua vida querido.
Resmungamos:
- Mas Pai, está tão confuso, tão desarrumado, parece uma bagunça, isso é injusto! Por que não me parece nada bonito como o Senhor disse que faria?
- Acalme-se meu filho, continue a jornada, fique firme, vá em frente, no seu trabalho, na sua lida, em sua familia... confie em mim, eu estou pintando aquilo que planejei pra ti.
É assim, no avesso, antes de acabado é difícil entender a mente do Grande Artista... mas ele sabe o que faz, ele sabe o fim desde o começo. Confie nele!

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Mensagem do Ultimo Domingo



Mensagem do dia 06 de Setembro de 2009.
Primeira Igreja Batista em Sta Fé do Sul.
Pr Eliezer.
link... à esquerda
"Ele é Digno de todo nosso louvor... verdadeiro".

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Pobreza triunfante!





"nada tendo"... (2Co 6.10)

Não guarde nada.
Extravase o que você tem de melhor,
Esteja sempre desprovido.
Nunca seja diplomático e protetor
Com o tesouro que Deus lhe dá.
Essa é a pobreza triunfante.

"A oração é a prática de se recorrer à graça de Deus"

Oswald Chambers.
Tudo para Ele, (26/06)

sábado, 29 de agosto de 2009

Mensagens no SlideShow



Mensagem do dia 16 de Agosto de 2009

Usando como referência a chamada Gripe Suína, mas tratando de uma doença muito pior: o Pecado. Essa mensagem foi muito importante na vida de algumas pessoas que me procuraram, e realmente experimentei uma unção especial do Senhor, e uma autoridade maravilhosa. É bom ver que o Senhor nos fala!
Aos que desejarem o audio, solicitem na secretaria da igreja, ou no email pibsfs@yahoo.com.br
Para ver os Slides, clique no link à esquerda no nome da mensagem.
Abraços,
Pr Eliezer
(espero seu comentário)



Mensagem do dia 23 de Agosto de 2009
Culto em homenagem aos Advogados, e comemorativo a OAB Secção de Santa Fé do Sul.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Feliz...





Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,
Mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo.
E que posso evitar que ela vá à falência.

Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver,
Apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas
e se tornar um autor da própria história.

É atravessar desertos fora de si,
Mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.

Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um "não".
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo...

(Ser Feliz - Fernando Pessoa)

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

O BARQUINHO




O Dr. Gordon H. Schroeder gostava de contar a história de um menino que brincava com um barquinho de papel, num lago.
De repente, o barco fugiu de seu alcance, e o menino começou a chorar. Outro menino, que se encontrava por perto, viu o que se passava, e começou a jogar pedras na direção do barquinho.
Ao ver isso, o dono do barquinho chorou mais alto ainda, até compreender que as pedras não estavam atingindo e afundando o barco, mas o traziam de volta à margem do lago. As pedras caíam além do barco, mas as pequenas ondas que se formavam traziam-no para perto do menino.

- Nem sempre as pedras atiradas são marcas de maldade.
- "Mares calmos não produzem bons marinheiros"

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Ocupação...

Aceitei o convite do Pr Ricardo Gondim, desliguei o Jornal Nacional e assisti um video que abriu meus olhos para o que até então eu não entendia... o grito e a luta de um povo oprimido.

Se quiser fazer o mesmo...
http://video.google.com/videoplay?docid=-4059024493735334793

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Amar a Cruz...


Não, queridas almas,
não há consolo em nada senão no amor da cruz e no total abandono;
quem não experimenta a cruz, não experimenta as coisas de Deus (veja Mt 16,23).
É impossível amar a Deus sem amar a cruz;
um coração que experimenta a cruz, considera as coisas mais amargas uma doçura:
"Garganta saciada despreza o favo de mel, garganta faminta acha doce todo amargo'" (Pr 27,7);
pois, ela tem fome de Deus, na proporção de sua fome pela cruz.
Deus nos dá a cruz e a cruz nos dá Deus.
Madame Guyon, Experimentando as profundezas de Jesus através da Oração, p.20

domingo, 26 de julho de 2009

Leituras 2009


LIVROS LIDOS EM 2009

- ORAÇÃO - PHILIP YANCEY
- PARA SER VITORIOSO - RICK WARREN
- A CABANA - WILLIAM P. YONG
- MANUAL DA VISÃO DE CÉLULAS - ALUISIO A. SILVA
- O EVANGELHO MALTRAPILHO - BRENNAN MANNING



# LENDO NESTES DIAS -

- 17 LEIS INCONTESTÁVEIS DO TRABALHO EM EQUIPE - JOHN MAXWELL
- PAULO - CHARLES SWINDOLL
- NOVE MARCAS DE UMA IGREJA SAUDÁVEL - MARK DEVER
- A CONSPIRAÇÃO DIVINA - DALLAS WILLARD
- CRIME E CASTIGO - DOSTOIEVSKI

sábado, 18 de julho de 2009

CREDIBILIDADE !


Como é confortante e animador quando encontramos pessoas que se possam chamar de confiáveis. Hoje me deparei no noticiário com dois grandes personagens de nossos dias. O primeiro faleceu hoje aos 92 anos de idade e durante sua vida profissional foi chamado de "o homem mais confiável dos Estados Unidos". Walter Cronkite, um rosto conhecido do CBS Evering News, uma voz creditável no mundo tão duvidoso do jornalismo. O outro completa hoje (18 de Julho de 2009) exatos 91 anos, e tem um país todo festejando esse dia como um presente da humanidade pela sua dignidade, sua luta e persistência como um exemplo diante de tanta crueldade e maldade que assola nosso mundo, Nelson Mandela. Dois homens quase que da mesma idade, com vidas bem diferentes, mas que geraram algo tão importante para uma sociedade que tem expectativas de dias melhores para a humanidade: credibilidade.


Eles notoriamente se destacam, quando por exemplo aparecem no jornal noturno que estamos acostumados a assistir cheio de personagens inescrupulosos, acostumados com a mentira, envenenados pela ganância, bem ensaiados nas tramas mais absurdas, e que nos causam desespero ao saber que grande parte estão nos escalões diversos da liderança de nossa sociedade, seja governos, seja militares ou religiosos. Pessoas que deveriam gerar esperança, geram temor.


A Biblia orienta aos que desejam estar na linha de frente do povo de Deus que seja "de boa reputação perante os de fora, para que não caia em descrédito nem em cilada do Diabo" (1Tm 3.7). Sim, pessoas respeitáveis, honradas e irrepreensíveis para que o Deus de toda a Verdade seja conhecido por aqueles que não apenas pregam e ensinam a verdade, mas sejam o espelho verídico dela.

sábado, 11 de julho de 2009

Meu Pequeno Mundo



Meu mundo é muito pequeno mesmo,
diante da imensidão do Universo,
ou mesmo das grandiosas preocupações
de célebres pessoas do planeta,
até mesmo no meio de tantas coisas belas,
ou tantos fatos novos,
ou dores intensas de tantos outros.
Há muita coisa, com certeza, maior que minha vida,
e meus desejos, minhas obras, pensamentos e
ansiedades do meu coração.
Mas,
O que me inunda de alegria é saber
que meu pequeno, e ínfimo mundo,
é alvo do olhar amoroso de meu Pai,
e move seus ouvidos e seu toque poderoso.
Eu, e meu pequeno mundo... sim,
Nada me faz mais pleno de vida que
pensar, que de alguma forma, sem eu entender,
ou me esforçar por isso,
eu motivo meu Deus a amar.
Isso... só isso vale a vida!

Segue uma das canções prediletas que tenho a anos
do Grupo Vencedores Por Cristo.

Meu Pequeno Mundo
Vencedores Por Cristo
Composição: Indisponível

Ó Deus da amplidão, do sol e do ar,
Eu sinto no vento e no mar.
Embora presente em todo lugar
Surpreso, estás vivo em mim.

Crateras distantes de um mundo sem fim,
Criaste, em Teu grande poder,
Meu pequeno mundo chamou-te atenção
Nem mesmo posso entender.

Milagres sei que acontecem, alguém como eu,
No instante em que ousamos crer em Jesus.
Pois somos o alvo do seu grande amor,
Amor que levou Cristo a morrer na cruz.

Podem estrelas cair e o sol se apagar,
E todo este universo passar.
Mas nada vai mudar a promessa que me fez,
Jesus em meu ser vai ficar.

Eu tenho... mas nao sei usar!

Oi pessoal!
Nao sei como, acabei fazendo um perfil do Twitter,
mas nem sei ao menos como usar.

Pra quem sabe e quiser anotar,
enquanto eu aprendo,
aí vai o endereço:

www.twitter/eliezerfa

Tô di férias!!!!
Depois escrevo mais.
Abraços calorosos.

domingo, 28 de junho de 2009

Michael Jackson


Michael Jackson e a Saga Humana

O som do Michael nunca fez a minha cabeça, embora reconheça nele um extraordinário talento, uma incrível criatividade e uma enorme sensibilidade.

Sua trajetória como artista e como homem, no entanto, tem muito a me dizer.

E fala (chega mesmo até a gritar) sobre o que temos de mais humano: nossa capacidade de transcender a nós mesmos através de nossas realizações, de nossa inventividade, de nossa arte, e assim eternizarmos a nossa obra. Já dizia Sêneca, “longa é a arte, breve é a vida”.

Sua senda também me ensina sobre a nossa vocação, como seres humanos, para apresentarmos no palco da vida um espetáculo inusitado e surpreendente, repleto ora de elementos de glória sublime, ora de tragédia pungente.

E isso é comum a todos nós.

Todos tivemos, temos ou teremos momentos singulares de realização, de contentamento, de vitória.

E também já vivemos ou viveremos tempos de dor, de luto, de vergonha, de desterro.

Esse é o caminho dos que são a coroa desta criação.

Esse foi o caminho descrito no livro sagrado que o Cristo de Deus percorreu.
Da eternidade em harmonia triuna ele se esvazia tomando a forma de escravo, vivendo entre os homens, morrendo entre ladrões.

E é então exaltado, recebendo o nome que está acima de todo nome.
Eu poderia ocupar espaço falando dos escândalos, das dívidas, do isolamento, das deformações físicas e psicológicas que sempre ocuparam o cotidiano do ser humano Michael.

Prefiro, no entanto, refletir sobre as minhas próprias imperfeições, distorções, incoerências e enfermidades que, aliás, todos temos em diferentes formas e momentos.

E nisso tudo, don’t matter if you’re black or white!

• Jorge Camargo, mestre em ciências da religião, é intérprete, compositor, músico, poeta e tradutor.
http://www.jorgecamargo.com.br/

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Perdoem-me!



Aos que tentaram postar e não conseguiram...
Me perdoem.
O erro foi meu,
mas, agora podem fazê-lo à vontade,
e obrigado pelo puxão de orelha.
Eu os amo também por isso!!!

domingo, 14 de junho de 2009

SÊ TU UMA BÊNÇÃO



E naquele momento
- momento de decisão –
Havia apenas uma ordem:
“Sai da tua terra,
Deixa a tua casa,
Caminha para um lugar
Que eu te mostrarei...”

Mas onde ir, onde andar?
Qual o caminho seguir?
Em que estrada caminhar?
Mas havia uma promessa:
“Qualquer que for o teu destino,
Qualquer que seja a tua habitação,
- garante o Deus Divino –
Vai, Sê tu uma bênção.”

Bênção... Abençoar quem?
Que poder eu tenho?
Que força eu detenho?
Eu... eu não sou ninguém!
E ainda hoje se escuta
A poderosa voz dizer:
“Vai, sê tu uma bênção,
Abençoa outros no viver!
Levanta, saia do teu lugar,
Dá o primeiro passo
E o cenário vai mudar...
Se não podes ser tão grande
Tua fragilidade vai abençoar...
Se não podes ser estrada,
Sê uma trilha onde a graça,
Alegria, o perdão de Deus passa,
Fazendo a vida abençoada...
Se não podes ser estrela,
Sê então pequena luz
Que rompendo a escuridão
Faça a diferenciação:
Deixe brilhar Jesus!

Se Não podes ser o sol
- esta estrela reluzente –
Sê uma pequena chama,
- chama que oriente e aqueça –
Mas que viva permaneça,
Abençoando a quem clama...

Não, não, para que grandezas?
Reconhece tua estatura...
Começa com coisas pequenas
Devagar, mas mudando a cena
E a grandiosidade surgirá.
Estende o braço para o abraço,
Fala de vida e esperança,
Mostra o amor que alcança
Que resgata do fracasso!

Divide aquilo que tens,
Faze o bem acontecer...
Não é preciso ter bens
Para brilhar no viver!
Divida a tua intercessão.
Mostra toda a atenção,
Mostra também simpatia!
E os milagres surgirão,
Vidas serão transformadas,
Pessoas serão resgatadas
Pela graça do perdão...”

Vai... sê tu uma bênção...
Bênção para Deus,
Bênção para os teus,
Bênção para ti.
E, um dia, além do véu,
Tu ouvirás lá do céu
O Senhor Jesus te falar:
“Bem vindo servo fiel,
Entra, este aqui é teu lugar
- mais que um lugar, um lar –
A tua vida só abençoou,
Desfruta do gozo do teu Senhor,
Na terra dos homens,
Soubeste me amar!”

Para mais poemas do autor, visite a Comunidade dedicada a ele no Orkut, em: http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=22533944

http://poesiaevanglica.blogspot.com/

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Cada dia mais bonito!




"Vamos prosseguir para a perfeição" - Hebreus 6.1

Pouquíssimos são aqueles que olham para o espelho e chegam à mesma conclusão que o famoso jogador de futebol americano Joe Namath chegou. No auge da sua carreira, ele escreveu um livro intitulado "Não vejo a hora de chegar amanhã, pois a cada dia que passa eu fico mais bonito".

Tenho como brincadeira o costume de responder a quem me questiona como estou, que "estou cada dia mais bonito, não importa o que aconteça". Não tenho a presunção de me achar belo, mas posso brincar assim. No entanto por mais cômico que possa parecer, isso nos ajuda a pensar como nós, sendo cristãos, devemos nos enxergar durante este processo de tornarmo-nos como Ele (Rm 8.29) - um processo que dura a vida toda. A Palavra nos diz que, para sermos como Jesus, devemos melhorar a cada dia.

O processo de tornar-se como Cristo chama-se santificação; e começa desde o momento em que depositamos nossa fé em Jesus a fim de recebermos perdão para nossos pecados. Aos olhos de Deus nós somos santificados, ou seja, separados das coisas impuras, e fazemos parte de sua familia.

Mas santificação é também o contícuo processo no qual nos tornamos mais e mais como nosso Salvador, quando permitimos ao Espirito Santo desenvolver em nós suas características. Nossa parte é "ficarmos firmes" esforçando-nos para alcançar a maturidade espiritual (Filipenses 3:12).

Faça a si mesmo esta pergunta: Será que hoje eu sou mais bonito espiritualmente do
que era ontem? É uma boa forma de testar se você está se tornando como Jesus.

**************************************

CADA DIA DE MEU SALVADOR MAIS PERTO,
CADA DIA ABANDONANDO MEU QUERER,
ATÉ QUE UM DIA CRISTO REINE ABSOLUTO
NO RECÔNDITO PROFUNDO DE MEU SER. - BRANDT

***************************************
O novo nascimento acontece num momento;
mas o crescimento de um cristão leva a vida inteira .
***************************************

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Um grande amor... Pib Santa Fé!



Foi com a mensagem oficial proferida pelo Pastor Malcom Tolbert, acompanhado pelo missionário Willian L. Clinton, que a Igreja Batista de Santa Fé do Sul foi organizada no dia 05 de Junho de 1955 tendo o Pastor Valentim Gazzoli o seu primeiro ministro local. Eram um pouco mais de 60 membros, contando os moradores de cidades vizinhas ainda sem igreja, e com muita alegria e festividade na cidade.
Sucederam-se os pastores João R.Rodrigues; Antonio Pacheco, José Bispo, Francisco de Assis e Eliezer Ferreira de Almeida, cada qual com uma ênfase ministerial diferente, fazendo assim que a igreja fosse amplamente enriquecida pelos seus pastores.
A igreja é marcada pelo ardor evangelístico, liderança bem doutrinada, a adoração contagiante e agora efetiva-se através do ministério em Células. Houveram dias de tristeza e de lutas, mas muita graça de nosso Amado Cristo foi-nos dispensada.
Às vezes somos lembrados por um lindo templo erguido nestes últimos anos, mas a melhor construção desta igreja tem sido nas muitas vidas, através de suas células, da contínua Escola Bíblica, do treinamento de líderes, do comprometimento social e do testemunho eficaz de seus membros que cada dia mais faz brilhar a luz de Cristo (Fp 2.15)
Amo demais esse povo que Deus me deu. É uma grande alegria participar deste tempo na vida desta igreja. Viva intensamente essa alegria também. Aleluia!

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Velho ou Jovem!



A juventude não é um período da vida: ela é um estado de espírito, um efeito da vontade, uma qualidade da imaginação, uma intensidade emotiva, uma vitória da coragem sobre a timidez, do gosto da aventura sobre o amor ao conforto.

Não é por termos vivido um certo número de anos que envelhecemos; envelhecemos porque abandonamos o nosso Ideal.
Os anos enrugam o rosto; renunciar ao Ideal enruga a alma.

As preocupações, as dúvidas, os temores e os desesperos são inimigos que lentamente nos inclinam para a terra e nos tornam pó antes da morte.

Jovem é aquele que se admira, que se maravilha e pergunta, como a criança insaciável: e depois?
Ele desafia os acontecimentos e encontra alegria no jogo da vida.

És tão jovem quanto a tua fé. Tão velho quanto a tua descrença;
Tão jovem quanto a tua confiança em ti e a tua esperança,
Tão velho quanto o teu desânimo.

Serás jovem enquanto te conservares receptivo ao que é belo, bom, grande.
Receptivo às mensagens da natureza, do homem, do infinito.
(General Mac'Arthur)

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Doando, Sobra!



Tornando-se doente um chefe de família, e sentindo-se próximo da morte, fez o seu testamento de maneira que os seus filhos ficassem contentes.

Passados alguns dias o homem morreu. Os filhos ficaram tristes muito naturalmente, porém se consolaram com o fato de que o velho tinha vivido uma vida longa, útil e honesta. Logo, sem remorsos, poderiam gozar a fortuna que lhes legara o bondoso pai.

Abrindo-se o testamento, notaram que o filho mais velho receberia a metade da fortuna; o segundo filho, o do meio, um terço; e o mais novo, um nono. Ficaram satisfeitos, pois acharam a partilha justa. Só não sabiam que a herança consistia de 17 camelos. Ora, como dividir os bens, sabendo-se que a metade de 17 é 8 ½? Não poderiam matar um camelo e parti-lo ao meio. Isso nada lhes aproveitaria.

Ainda assim, lembraram-se os rapazes de que tinham um tio, que embora pobre, era muito sábio. Resolveram consultá-lo. Chegando à casa do parente, depois de uma longa jornada, contaram-lhe o problema.

Tendo ouvido atentamente o caso, o tio, pensativo, depois de alguns minutos, disse aos sobrinhos que já encontrara uma solução para o problema. Ele possuía um camelo e doaria esse animal aos rapazes, assim, com dezoito camelos poderiam efetuar a partilha sem nenhum problema.

Assim, voltando para casa, os três herdeiros, com o camelo do tio, foi fácil fazer a divisão: metade de dezoito, nove, a herança do filho mais velho; um terço de dezoito, seis, a parte do filho do meio; e um nono de dezoito, dois, quanto coube ao filho menor.

Então veio a surpresa: 9 + 6 + 2 = 17. Sobrou um camelo. Depois de cada um dos herdeiros receber todo satisfeito a sua parte, lá estava inteirinho o animal que tinha resolvido a questão. Assim, voltando à casa do tio, demonstrando afetuosa gratidão, os rapazes com muita alegria devolveram-lhe o camelo.

Quantos problemas mais difíceis que esse poderiam ser resolvidos se estivermos dispostos a ceder alguma coisa.


"Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber". At 20.35.

"Levai as cargas uns dos outros e assim cumprireis a lei de Cristo". Gl 6.2.

"Dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, generosamente vos darão; porque com a medida com que tiverdes medido vos medirão também". Lc 6.38.

"A alma generosa prosperará, e quem dá a beber será dessedentado". Pv 11.25.

Pr. Pedro Liasch Filho
Adaptado do original de Malba Tahan

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Vocação



"Se você ainda não sabe qual é a sua verdadeira vocação, imagine a seguinte cena:
Você está olhando pela janela, não há nada de especial no céu, somente algumas nuvens aqui e ali. Aí chega alguém que também não tem nada para fazer e pergunta:
- Será que vai chover hoje?

Se você responder "com certeza"... a sua área é Vendas:
O pessoal de Vendas é o único que sempre tem certeza de tudo.

Se a resposta for "sei lá, estou pensando em outra coisa"... então a sua aérea é Marketing:
O pessoal de Marketing está sempre pensando no que os outros não estão pensando.

Se você responder "sim, há uma boa probabilidade"... você é da área de Engenharia:
O pessoal da Engenharia está sempre disposto a transformar o universo em números.

Se a resposta for "depende"... você nasceu para Recursos Humanos:
Uma área em que qualquer fato sempre estará na dependência de outros fatos.

Se você responder "ah, a meteorologia diz que não"... você é da área de Contabilidade:
O pessoal da Contabilidade sempre confia mais nos dados no que nos próprios olhos.
Se a resposta for "sei lá, mas por via das dúvidas eu trouxe um guarda-chuvas":
Então seu lugar é na área Financeira que deve estar sempre bem preparada para qualquer virada de tempo.

Agora, se você responder "não sei"... há uma boa chance que você tenha uma carreira de sucesso e acabe chegando a diretoria da empresa.

De cada 100 pessoas, só uma tem a coragem de responder "não sei" quando não sabe.
Os outros 99 sempre acham que precisam ter uma resposta pronta, seja ela qual for, para qualquer situação.

"Não sei" é sempre uma resposta que economiza o tempo de todo mundo, e pré-dispõe os envolvidos a conseguir dados mais concretos antes de tomar uma decisão.

Parece simples, mas responder "não sei" é uma das coisas mais difíceis de se aprender na vida corporativa.
Por quê? > Eu sinceramente "não sei".
(Antonio Ermírio de Moraes - Revista Exame)

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Mãe devia ser eterna. (Homenagem)


Para Sempre

Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.

Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
- mistério profundo -
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.

Carlos Drummond de Andrade

quinta-feira, 7 de maio de 2009

O Que Te Prende!


"Quem estiver no telhado da sua casa não desça para tirar coisa alguma.
Quem estiver no campo não volte para pegar o manto..."
(Mateus 24.17,18)

Cuidado com o que você se apega.
Pense bem no que te prende, no que te chama muito a atenção.
Examine o que mais consome seu dinheiro, pois é lá que o seu coração está.
Onde você tem mais investido seu tempo?

No dia da chamada, talvez muitos não ouvirão, não atenderão porque estão muito ocupados e presos às "coisas desta vida".
Não que sejam necessariamente ruins, como nos dias de Noé (Mt 24.37ss) comiam. bebiam, casavam-se... nada demais, mas distraíram-se tanto que não adentraram no barco da salvação.

Que nossos olhos estejam fixos nAquele que foi levantado no meio deste mundo (João 3.14), e que nada ocupe mais o nosso pensamento que o autor e Consumador da nossa fé.

Repito... cuidado com aquilo que te prende! (vide charge)

domingo, 3 de maio de 2009

Presente desapercebido...

O Mestre Hugo confronta o temeroso urso Panda quanto a sua difícil tarefa de deter um grande inimigo, ou, voltar à sua vidinha de sempre, inadesafiadora.
As oportunidades que se nos apresentam fazem parte do tempo. E, o tempo denominado de agora, é o único que temos, mas é mais do que muitas vezes entendemos, como dito pelo tartaruga mestre:

“O Ontem é história.
O Amanhã é mistério.
O Hoje é uma dádiva.
Por isso que se chama presente”.

Mestre Hugo (Kung Fu Panda)

sexta-feira, 24 de abril de 2009

..."entre aspas"

"Não é tolo aquele que dá o que não pode guardar,
para ganhar o que não pode perder".
(Jimm Elliot, mártir entre os Aucas)

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Liberdade Complicada


Metáfora da alma humana.
Rubem Alves



Dentro de uma linda gaiola vivia um passarinho.
Sua vida era segura e tranqüila.
Tranqüilidade e segurança; coisas que todos desejam.
Barco ancorado não naufraga.
Avião em hangar não cai.
Para viver em segurança as pessoas constroem gaiolas e passam a viver dentro delas.
Dentro das gaiolas não há perigos.
Só há monotonia.
Todo dia a mesma coisa.
Tudo o que acontece todo dia do mesmo jeito é chato.
Esse é o preço da segurança: a chatice.
Dentro da gaiola não há muito o que fazer, seja ela feita com arames de ferro ou com deveres.
Os sonhos de aventuras selvagens aparecem, mas, logo que vêem os arames, morrem.
Alguns, malvados, furam os olhos dos pássaros engaiolados.
Dizem que pássaro de olho furado canta mais bonito.
Talvez, cegos, eles se esqueçam de que estão presos numa gaiola.
Mas, mesmo que não estivessem, de que lhes adiantaria ter asas para voar se não têm olhos para ver?
Sua cegueira é a sua gaiola.
Há muitas pessoas assim: parecem ter olhos normais, parecem ver tudo.
Na verdade nada vêem, a não ser o seu mundinho.
Sua cegueira é sua gaiola.
O nosso amigo, passarinho engaiolado, bem se lembrava do dia em que,
enganado pelo alpiste, tentador, saboroso, entrou no alçapão.
Alçapões são assim; têm sempre uma coisa apetitosa dentro.
Mas basta que a coisa apetitosa seja bicada para que a porta se feche para sempre, até que a morte a abra....
Na porta da gaiola estava escrita uma frase famosa, de um poeta famoso,
Dante Alighieri: "Deixai toda a esperança vós que entrais".
Mas passarinho não entende nem escritas nem linguagem de gente.
Há um poema famoso, de Guerra Junqueira, sobre o melro, pássaro que canta risadas de cristal.
Um padre velho e ranzinza tinha raiva do melro.
Ele comia as sementes que o padre semeava.
Um dia, o padre encontra o ninho de melro num arbusto.
Estava cheio de filhotinhos.
O padre, para se vingar da mãe, engaiola os filhotinhos.
A mãe, vendo seus filhos engaiolados, e sem forças para abrir a portinhosa de ferro, traz no seu bico um galho de veneno.
'Meus filhos, a existência é boa só quando é livre", ela disse.
"A liberdade é a lei.
Prende-se a asa, mas a alma voa...
Ó filhos, voemos pelo azul!...comei!"
É certo que a mãe do nosso passarinho engaiolado nunca lera o poema de Guerra Junqueiro porque, ao ver seu filho preso, lhe disse.
"Finalmente minhas orações foram respondidas.
Vocês estão seguros, pelo resto de suas vidas.
Nada hão de temer.
Nenhum gato o comerá.
Comida não lhe faltará.
Você estará sempre tranqüilo.
Se você ficar deprimido, cante.
Quem canta seus males espanta.
Veja: todos os pássaros engaiolados estão cantando!"
A palavras de sua mãe não o convenceram.
Do seu pequeno espaço ele olhava os outros passarinhos.
Os bem-te-vis, atrás dos bichinhos; os sanhaços, entrando mamões adentro;
os beija-flores, com seu mágico bater de asas; os urubus, em seus vôos tranqüilos na fundura do céu; as rolinhas, arrulhando, fazendo amor; as pombas voando como flechas.
Ele queria ser como os outros pássaros, livres....Ah!
Se aquela maldita porta se abrisse...
Isso era tudo o que ele desejava.
Pois não é que, para surpresa sua, um dia o seu dono esqueceu a porta da gaiola aberta?
Ele poderia agora realizar todos os seus sonhos.
Estava livre, livre, livre!
Saiu. Voou para o galho mais próximo.
Olhou para baixo.
Puxa! Como era alto!
Sentiu um pouco de tontura.
Estava acostumado com o chão da gaiola, bem pertinho.
Teve medo de cair.
Agachou-se no galho, para ter mais firmeza.
Viu uma outra árvore mais distante.
Teve vontade de ir até lá.
Perguntou-se se suas asas agüentariam.
Elas não estavam acostumadas.
O melhor seria não abusar, logo no primeiro dia.
Agarrou-se mais firmemente ainda.
Nesse momento um insetinho passou voando bem na frente de seu bico.
Chegara a hora.
Esticou o pescoço o mais que pôde, mas o insetinho não era bobo.
Sumiu mostrando a língua.
"Ei você!" - era uma passarinha.
"Vamos voar juntos até o quintal do vizinho?
Há uma linda pimenteira, carregadinha de pimentas vermelhas.
Deliciosas.
Só é preciso prestar atenção no gato que anda por lá...
" Só o nome "gato" já lhe deu um arrepio.
Disse para a passarinha que não gostava de pimentas.
A passarinha procurou outro companheiro.
Ele preferiu ficar com fome.
Chegou o fim da tarde e, com ele, a tristeza do crepúsculo.
A noite se aproximava.
Onde iria dormir?
Lembrou-se do prego amigo, na parede na cozinha, onde a sua gaiola ficava dependurada.
Teve saudades dele.
Teria de dormir num galho de árvore, sem proteção.
Gatos sobem em árvores?
Eles enxergam no escuro?
E era preciso não esquecer os gambás.
E tinha de pensar nos meninos com os seus estilingues, no dia seguinte.
Tremeu de medo.
Nunca imaginara que a liberdade fosse tão complicada.
Somente podem gozar a liberdade aqueles que têm coragem.
Ele não tinha.
Teve saudades da gaiola.
Voltou.
Felizmente a porta ainda estava aberta.
Entrou.
Pulou para o poleiro.
Adormeceu agradecido a Deus pela felicidade da gaiola.
É muito mais simples não ser livre.
Nesse momento chegou o dono.
Vendo a porta aberta, disse: "Passarinho bobo.
Não viu que a porta estava aberta.
Deve estar meio cego.
Pois passarinho de verdade não fica em gaiola.
Gosta mesmo é de voar...".

Um texto para se pensar!

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Preciso contemplar...



Tenho olhos...
mas nem sempre tão abertos quanto
preciso que estejam para Deus.

Tenho visto...
mas nem sempre contemplado, admirado
e agradecido por tudo de Deus para mim.

Tem maravilhas infindas...
em todos os cantos, nas pessoas, coisas,
nos momentos... mas não tão exulberates
profundas e verdadeiras como em Sua Lei.

Abra meus olhos Senhor...
para a tua Lei.

sexta-feira, 27 de março de 2009

Mente Aberta!


É bom pensar. Acreditar. Ter convicções e e fundamentos sólidos. Mas como Cristo é melhor amar. A Verdade, os fundamentos, as pessoas, a Deus. É importante se abrir, com uma constante renovação da mente, ao que muitas vezes pensávamos nos ferir, mas que nos acrescenta quando se deixa tocar pelo olhar, pelas mãos, pelo toque singular de Cristo Jesus. Brennan Manning expõe com facilidade sobre a mente aberta em seu livro O Evangelho Maltrapilho.

"Se mantermos a mente aberta como a de uma criança, desafiamos idéias estabelecidas e estruturas rígidas, incluindo as nossas. Ouvimos pessoas de outras denominações e religiões. Não encontramos demônios naqueles de quem discordamos. Não nos aconchegamos a gente que balbucia nosso jargão.
Se somos abertos, raramente recorremos ao ou isso ou aquilo: ou criação ou evolução, ou a liberdade ou a lei, ou o sagrado ou o secular, ou Beethoven ou Madonna. Permanecemos focalizados em ambos e em e, plenamente conscientes de que a verdade de Deus não pode ser aprisionada numa definição pequena.
É claro que a mente aberta não aceita tudo indiscriminadamente - marxismo ou capitalismo, cristianismo e ateísmo, amor e luxúria, Moët Chandon e vinagre. Ela não absorve todas as proposições igualmente, como uma esponja, nem é um molenga como uma. A mente aberta, porém, percebe que a realidade, a verdade e Jesus Cristo são inacreditavelmente sem limitações."

quinta-feira, 26 de março de 2009

Definição maravilhosa de Avivamento!


Reavivamento é uma visitação inteiramente sobrenatural do Espírito soberano de Deus, pela qual uma comunidade inteira toma consciência de sua santa presença e é surpreendida por ela. Os inconversos se convencem do pecado, arrependem-se e clamam a Deus por misericórdia, geralmente em números enormes e sem qualquer intervenção humana. Os desviados são restaurados. Os indecisos são revigorados. E todo o povo, inundado de um profundo senso de majestade divina, manifesta em suas vidas o multifacetado fruto do Espírito, dedicando-se às boas obras”.

(John Stott - Revista Ultimato, Ano XLII – nº 317, Março2009)

quarta-feira, 4 de março de 2009

AJUSTANDO AS VELAS



Em momentos de grandes tempestades os navegantes ajustam as velas, afim de controlar a fúria do vento e da tempestade. Nós cristãos, muitas vezes somos pegos de surpresa por ondas violentas, que vem e destroem nossa força, esperança e vigor.

Para que não sejamos destruídos pelas tempestades da vida, temos que estar alicerçados na rocha, que é Jesus, pois na areia facilmente desmoronaremos.

Estava eu a poucos dias, diante de uma grande tempestade e imaginei que não sairia da mesma facilmente. Não tinha forças nem ânimo pra lutar, somente olhava pro Senhor e dizia: "Pai, me ajuda, não irei conseguir sair dessa tribulação sem Ti, nesse momento me sinto como se o mundo tivesse desabado sobre mim... Pai, não tenho forças, preciso de ti, preciso do teu amor...". E Deus ouviu meu clamor, e me renovou de força e ânimo. Foi como se Ele dissesse: filho meu ajuste as velas! E eu entendi e vi que bastava eu colocar meu coração em sua palavra e deixar Ele dirigir minha vida. Também foi necessário eu reconhecer que havia algumas coisas no destino errado e que precisava ajustar as velas, para ir no caminho certo do Senhor.

Quando ajustamos as velas do nosso coração, dos nossos desejos e vontades de acordo com a direção do Senhor, o destino é bênçãos e vitórias. Do contrário será tristeza, decepção e derrotas.

O pessimista, queixa-se do vento, o otimista espera que mude, o realista ajusta as velas.

Seja realista e ajuste as velas de sua vida e esteja no centro da vontade de Deus, e Ele certamente te dará vitórias.

Autor: Hélio Martins

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Deus me cerca...


Cerca de espinhos


Há uma cerca que protege a propriedade privada, a felicidade, a saúde, a vida e a família. É a cerca que estava ao redor de Jó, à qual se referiu Satanás: “Acaso não o cercaste com sebe, a ele, a sua casa e a tudo quanto tem? A obra de suas mãos abençoaste, e os seus bens se multiplicaram na terra” (Jó 1.10). Todas as vezes que Deus, em sua soberania, diminuía o tamanho da cerca, deixando alguma coisa fora dela, Satanás abocanhava e provocava tragédias enormes na vida de Jó, como a perda de todos os seus bens, de todos os seus filhos e de sua saúde. A essa bendita cerca devemos nossa longevidade e felicidade. Sem a proteção de Deus, a vida é impossível e não vale a pena.

Todavia há outra cerca que Deus, quando necessário, coloca em nosso caminho. É a cerca de espinhos de que fala o profeta Oséias: “Vou pôr ao redor dela uma cerca de espinhos e vou construir um muro na estrada, para que ela não encontre o caminho” (Os 2.6, BLH). Seria a moderna cerca de arame farpado que traça limites, que dificulta ou impede a passagem para além do plausível. É uma cerca que atravanca o livre curso daquele que quer fazer o que não deve fazer. Essa cerca protege a integridade moral do indivíduo.

No contexto de Oséias, a cerca de espinhos foi colocada ao redor de Gômer, sua esposa infiel, para que ela não mais corresse atrás de seus amantes e chegasse à seguinte conclusão: “Vou voltar para o meu marido, pois, quando vivia com ele, eu era mais feliz do que agora” (Os 2.7, BLH). Sem essa cerca, Gômer não pararia para avaliar a loucura que havia cometido até então.

Embora tenha experimentado em sua própria carne a dor profunda da infidelidade conjugal cometida pela esposa, Oséias tinha plena consciência de que aquele pecado não era só de Gômer. A nação da qual ele fazia parte e para a qual havia sido enviado estava em adultério diante de Deus, porque o havia abandonado e se apegado a outros deuses. A cerca de espinhos não era para barrar só o caminho da esposa infiel. Era também para pôr um fim na infeliz trajetória de Israel. Bem-aventurado é aquele em cujo redor Deus coloca essa formidável cerca de espinhos!
(Revista Ultimato)

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Amigos são pontes!

video

É Melhor Amar...



C.S.Lewis, em Os Quatro Amores:

"Amar é antes de tudo, ficar vulnerável... se você quer, com certeza, manter (seu coração) intacto, então não deve dá-lo a ninguém, nem mesmo a um animal. Envolva-o cuidadosamente com distrações e pequenos luxos; evite todos os embaraços; tranque-o na segurança do cofre de seu egoísmo. Mas nesse cofre – seguro, escuro, inerte e sem ar – seu coração mudará. Ele não mais se quebrará:- tornar-se-á inquebrável, impenetrável, irredimível... o único lugar fora do Céu onde você pode ficar absolutamente livre do perigo de amar é o Inferno".


Porque amar apenas por obediencia a um mandamento?
Porque amar depois de convencido?
Porque amar por falta de opção?
Porque amar por gosto e prazer de ser amado?
Porque amar? Porque amar...
Amar...

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009



O último folheto

Todos os domingos à tarde, depois do culto da manhã na igreja, o pastor e seu filho de 11 anos saíam pela cidade e entregavam folhetos evangelísticos. Numa tarde de domingo, quando chegou a hora do pastor e seu filho saírem pelas ruas com os folhetos, fazia muito frio lá fora e também chovia muito. O menino se agasalhou e disse:

- Ok, papai, estou pronto. E seu pai perguntou:

- Pronto para quê?

- Pai, está na hora de juntarmos os nossos folhetos e sairmos. Seu pai respondeu:

- Filho, está muito frio lá fora e também está chovendo muito. O menino olhou para o pai surpreso e perguntou:

- Mas, pai, as pessoas não vão para o inferno até mesmo em dias de chuva? Seu pai respondeu:

- Filho, eu não vou sair nesse frio.' Triste, o menino perguntou:

- Pai, eu posso ir? Por favor! Seu pai hesitou por um momento e depois disse:

- Filho, você pode ir. Aqui estão os folhetos. Tome cuidado, filho.'

- Obrigado, pai! Então ele saiu no meio daquela chuva.

Este menino de onze anos caminhou pelas ruas da cidade de porta em porta, entregando folhetos evangelísticos a todos que via. Depois de caminhar por duas horas na chuva, ele estava todo molhado, mas faltava o último folheto. Ele parou na esquina e procurou por alguém para entregar o folheto, mas as ruas estavam totalmente desertas. Então ele se virou em direção à primeira casa que viu e caminhou pela calçada até a porta e tocou a campainha. Ele tocou a campainha, mas ninguém respondeu. Ele tocou de novo, mais uma vez, mas ninguém abriu a porta. Ele esperou, mas não houve resposta. Finalmente, este soldadinho de onze anos se virou para ir embora, mas algo o deteve. Mais uma vez, ele se virou para a porta, tocou a campainha e bateu na porta bem forte. Ele esperou, alguma coisa o fazia ficar ali na varanda. Ele tocou de novo e desta vez a porta se abriu bem devagar. De pé na porta estava uma senhora idosa com um olhar muito triste. Ela perguntou gentilmente:

- O que eu posso fazer por você, meu filho? Com olhos radiantes e um sorriso que iluminou o mundo dela, este pequeno menino disse: - Senhora, me perdoe se a estou perturbando, mas eu só gostaria de dizer que JESUS A AMA MUITO, e eu vim aqui para lhe entregar o meu último folheto, que lhe dirá tudo sobre JESUS e seu grande AMOR. Então ele entregou o seu último folheto e se virou para ir embora. Ela o chamou e disse:

- Obrigada, meu filho!!! E que Deus te abençoe!!!

Bem, na manhã do domingo seguinte na igreja, o Papai Pastor estava no púlpito. Quando o culto começou ele perguntou:

- Alguém tem um testemunho ou algo a dizer? Lentamente, na última fila da igreja, uma senhora idosa se pôs de pé. Conforme ela começou a falar, um olhar glorioso transparecia em seu rosto. - Ninguém me conhece nesta igreja. Eu nunca estive aqui. Vocês sabem, antes do domingo passado eu não era cristã. Meu marido faleceu a algum tempo, deixando-me totalmente sozinha neste mundo. No domingo passado, sendo um dia particularmente frio e chuvoso, eu tinha decidido no meu coração que eu chegaria ao fim da linha, eu não tinha mais esperança ou vontade de viver. Então eu peguei uma corda e uma cadeira, e subi as escadas para o sótão da minha casa. Eu amarrei a corda numa madeira no telhado, subi na cadeira e coloquei a outra ponta da corda em volta do meu pescoço. De pé naquela cadeira, tão só e de coração partido, eu estava a ponto de saltar quando, de repente, o toque da campainha me assustou. Eu pensei: 'Vou esperar um minuto e quem quer que seja irá embora' Eu esperei e esperei, mas a campainha era insistente; depois a pessoa que estava tocando também começou a bater bem forte. Eu pensei: 'Quem neste mundo pode ser? Ninguém toca a campainha da minha casa ou vem me visitar.' Eu afrouxei a corda do meu pescoço e segui em direção à porta, enquanto a campainha soava cada vez mais alta. Quando eu abri a porta e vi quem era, eu mal pude acreditar, pois na minha varanda estava o menino mais radiante e angelical que já vi em minha vida. O seu SORRISO, ah, eu nunca poderia descrevê-lo a vocês! As palavras que saíam da sua boca fizeram com que o meu coração que estava morto há muito tempo SALTASSE PARA A VIDA, quando ele exclamou com voz de querubim: - Senhora, eu só vim aqui para dizer QUE JESUS A AMA MUITO. Então ele me entregou este folheto que eu agora tenho em minhas mãos. Conforme aquele anjinho desaparecia no frio e na chuva, eu fechei a porta e atenciosamente li cada palavra deste folheto. Então eu subi para o sótão para pegar a minha corda e a cadeira. Eu não iria precisar mais delas. Vocês vêem - eu agora sou uma FILHA FELIZ DO REI!!! Já que o endereço da sua igreja estava no verso deste folheto, eu vim aqui pessoalmente para dizer OBRIGADA ao anjinho de Deus que no momento certo livrou a minha alma de uma eternidade no inferno.

Não havia quem não tivesse lágrimas nos olhos na igreja. E quando gritos de louvor e honra ao REI ecoaram por todo o edifício, o Papai Pastor desceu do púlpito e foi em direção à primeira fila, onde o seu anjinho estava sentado. Ele tomou o seu filho nos braços e chorou copiosamente. Provavelmente nenhuma igreja teve um momento tão glorioso como este e provavelmente este universo nunca viu um pai tão transbordante de amor e honra por causa do seu filho... Exceto um.

Este PAI também permitiu que o Seu Filho viesse a um mundo frio e tenebroso. Ele recebeu o Seu Filho de volta com gozo indescritível, todo o Céu gritou louvores e honra ao Rei, o PAI assentou o Seu Filho num trono acima de todo principado e potestade e lhe deu um nome que é acima de todo Nome. Bem aventurados são os olhos que vêem esta mensagem. Não deixe que ela se perca, leia-a de novo e passe-a adiante. Lembre-se: a mensagem de DEUS pode fazer a diferença na vida de alguém próximo a você.

a pedidos, ilustração de uma mensagem na igreja.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Porque Oro...


No que se refere a Deus, a oração não é necessária de forma nenhuma, mas quanto a nós ela é inteiramente necessária. Se não fôssemos constrangidos a orar, duvido que poderíamos viver como cristãos. Se as bênçãos de Deus chegassem até nós sem serem pedidas, não teriam metade do valor que tem, pois, ao pedi-las obtemos uma dupla bênção – uma em obter, outra em pedir.
O próprio ato de orar é uma bênção. Orar é, de certa forma, banhar-se em águas cristalinas, e assim escapar do calor do sol de verão. Orar é subir em asas de águia acima das nuvens e chegar ao céu claro onde Deua habita. Orar é entrar na tesouraria de Deus e enriquecer-se de um reservatório inexaurível. Orar é tomar o céu nos braços, é abraçar a Deidade dentro da alma e sentir o corpo feito Templo do Espírito Santo.
Independente da resposta, a oração em si mesma é uma bênção. Orar é desfazer-se de seus fardos, despir-se de seus trapos, lançar fora suas enfermidades, ficar cheio de vigor espiritual, alcançar o mais alto ponto da saúde cristã.
Que Deus nos ajude a sermos diligentes na santa arte de argumentar com Ele mediante a oração.

C.H.Spurgeon, ORAÇÃO EFICAZ