quinta-feira, 12 de novembro de 2009

No escuro.




Veio o apagão. Em meio a tanta escuridão, sai tateando em minha própria casa, temendo tropeçar em algo que não sabia se estava ali, ou se esquivar no nada que temia estar a frente.
Num ritmo lento, enquanto tantas coisas se passavam na cabeça, desde os motivos daquele momento, como os nomes dos possíveis responsáveis, que horas depois tive que vergonhosamente reconhecer estar errado, como também os propósitos daquela hora. Tanta coisa passa enquanto percorro do quarto para a cozinha procurando as velas para iluminar minha terrível escuridão. Tanta coisa... tanto nada.
Mas se não me serviu de nada, a não ser o exercício do pensar e procurar algo tão bem guardado no fundo de uma gaveta qualquer, serve agora para refletir, e refletindo o escuro, muitas vezes encontro a luz.
Quisera eu sempre encontrar luz no fim do tunel, mesmo que não a procure, mas dela me envolva. Pos ao final, tudo se mostra tão diferente do imaginado, pensado e desejado.
Fica aqui o aprendizado, como na oração de Thomas Merton....


Tu Não És Como O Tenho Imaginado
Senhor, é quase meia-noite e estou Te esperando na escuridão e no grande silêncio.
Lamento todos os meus pecados.
Não me deixe pedir mais do que ficar sentado na escuridão, sem acender alguma luz por conta própria, nem me abarrotar com os próprios pensamentos para preencher o vazio da noite na qual espero por Ti.
Deixa-me virar nada para a luz pálida e fraca dos sentidos, a fim de permanecer na doce escuridão da Fé pura.
Quanto ao mundo, deixa-me tornar-me para ele totalmente obscuro para sempre. Que eu possa, deste modo, por esta escuridão, chegar enfim à Tua claridade.
Que eu possa, depois de ter me tornado insignificante para o mundo, estender-me em direção aos sentidos infinitos, contidos em Tua paz e Tua glória.
Tua claridade é minha escuridão. Eu não conheço nada de Ti e por mim mesmo nem posso imaginar como fazer para Te conhecer.
Se eu te imaginar, estarei errado.
Se Te compreender, estarei enganado.
Se ficar consciente e certo que Te conheço, serei louco.
A escuridão me basta.

Thomas Merton

2 comentários:

sonia disse...

que lindo pastor..
..tua claridade é minha escuridado...encantador isso...
fica na paz do Senhor...bjs!!

Monisa disse...

Gostei muito desse texto, pastor!
No silêncio da escuridão a nossa mente se liberta!
Um abraço bem apertado.