sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Jesus, o Incomparável


Nestes dias que cercam o natal, o mais importante é lembrarmo-nos do aniversariante, e o que Ele representa para nós.



Tudo em Cristo me deixa perplexo.
Seu espírito me intimida, e sua vontade me confunde.
Entre ele e qualquer outra pessoa do mundo, não existe termo possível de comparação. Ele é verdadeiramente um ser por si mesmo [...]
Procuro em vão na história encontrar o semelhante a Jesus Cristo, ou qualquer coisa que se possa aproximar do evangelho.
Nem a história, nem a humanidade, nem os séculos, nem a natureza me oferecem qualquer coisa com a qual possa compará-lo ou explicá-lo.
Aqui tudo é extraordinário.
(Napoleão)


Quanto mais eu estudava Jesus, mais difícil se tornava classificá-lo. Ele falou pouco sobre a ocupação romana, o assunto principal das conversas de seus conterrâneos, mas pegou um chicote para expulsar do templo judeu os pequenos aproveitadores. Insistia na obediência à lei de Moisés, enquanto adquiria a reputação de transgressor da lei. Poderia ser tomado de simpatia por um estrangeiro, mas afastou o melhor amigo com a dura repreensão: “Para trás de mim, Satanás!”. Tinha opiniões inflexíveis sobre os homens ricos e as mulheres de vida fácil, mas ambos os tipos desfrutavam de sua companhia.
Um dia os milagres pareciam fluir de Jesus; no dia seguinte seu poder ficava bloqueado pela falta de fé das pessoas. Um dia falava em pormenores sobre a segunda vinda; no outro, não sabia o dia nem a hora. Fugiu de ser preso uma vez e marchou inexora¬velmente rumo à prisão em outra. Falou eloqüentemente sobre a pacificação, e depois disse a seus discípulos que procurassem espadas. Suas reivindicações extravagantes colocaram-no no centro da controvérsia, mas, quando fazia alguma coisa realmente miraculosa, procurava ocultá-lo. Como disse Walter Wink, se Jesus nunca tivesse vivido, não poderíamos tê-lo inventado.


Vão dizer a João o que viram por aqui.
Digam-lhe que há pessoas que venderam seus cães-guias e estão observando pássaros.
Digam-lhe que há pessoas que trocaram suas bengalas de alumínio por botas de andarilhos.
Digam-lhe que os desanimados se transformaram em pessoas empreen¬dedoras e uma porção de pessoas exaustas está vivendo pela primeira vez na vida.
(Mateus 11.4,5 - Paráfrase de Frederich Buechner)

Trechos retirados do livro O Jesus que eu nunca conheci, de Philip Yancey.

2 comentários:

sonia disse...

pastor amado..lendo uma poesia do quintana..me lembrei da mensagem de hj...recomeçar sempre..a poesia é Esperança..
Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
— ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança...
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA...

sonia disse...

recomeçar sempre amado..ter esperança sempre...e como te ouvimos pregar hj..tendo a certeza q o melhor ainda está por vir...
Deus o abençoe sempre...e lhe acrescente esperança em teu viver querido...Feliz 2010!!! Feliz recomeço!!! e,..tenhamos sempre..Esperança...sabendo q Deus está no comando de td..haja oq houver...venha oq vier..."o melhor ainda está por vir"...e enqto isso..fiquemos no nosso esconderijo secreto..Debaixo de suas asas...e agradecidos..pois a graça de Deus nos basta..Bjs querido!!!