sábado, 20 de novembro de 2010

Graça ou condenações?




Sempre penso uma história contada por Philip Yancey.
Um cristão se tornou viciado (no caso, em pornografia, mas poderia ser em outra dependência). Sua esposa percebeu o problema. Em lugar de apenas repreender o marido, assentou-se numa noite ao seu lado na sala e o abraçou, entre lágrimas. O homem foi curado naquele momento.
Contudo, teve recaídas. Ao final, no entanto, ficou livre para sempre.
Lembrei da história ao reler "Os fortes e os fracos", de Paul Tournier, que escreve: "A fé nascida por ocasião de uma experiência concreta sobreviverá ainda que haja recaída. O que terá mudado definitivamente é o clima da vida. Ainda que nossas tendências inatas persistam, afrouxarão os círculos viciosos".
Mais do que qualquer pessoa, quem recai precisa desesperadamente da graça.
Estamos dispostos em ministrá-la ou nos especializamos em condenar?

Paz e
Graça.

Nenhum comentário: