quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Vai crescer?


Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora, como no dia da eternidade. Amém.                                    2 Pedro 3:18


Todos já ouvimos alguém nos perguntar o que desejamos ser quando crescermos.  Não tem nenhum sentido a pergunta primeiro porque ainda não temos o conhecimento necessário para uma escolha tão importante, e também porque a vida dá muitas voltas e por isso ocorrem muitas mudanças. A resposta mais certa de todas é que, quando crianças temos o profundo desejo de crescer. Sim, eu quero crescer, ser “gente grande”, diria qualquer criança.
Esse é um desejo que todo novo convertido tem no afã de conhecer mais a Deus e as coisas de Deus, mas que vai perdendo a intensidade no meio de uma vida pacata e acomodada.
Somos convidados pelo apóstolo Pedro a crescer “na graça e conhecimento de nosso Salvador”. Conhecer mais de Cristo e aprofundar-se na graça, no favor, na bondade, na manifestação do amor que Ele tem para conosco. Muitos cristãos se perdem em crescer em títulos, funções, obrigações ou na listinha de “pode e não pode” da religiosidade, mas perde a oportunidade de fazer com que o caráter de Cristo se manifeste nele e através dele.
Esse é meu desafio a você amado: vamos crescer e usufruir de tantas bênçãos e de tanto compartilhar do amor de Deus para com os que Ele nos convida a amar. Esse é a pergunta: você quer crescer? Então vamos crescer juntos em Cristo Jesus!              
Seu, Pr. Eliezer



“Uma vida sem confronto não tem direção, não tem alvo; é passiva. Quando o ser humano não é desafiado, tende a vagar, andar a esmo ou estagnar." (David Augsburger)

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Lutas por dentro e por fora.



Atravessou aquelas regiões, animando muito com as suas mensagens os cristãos. (Atos 20.2)
Mais de cinco anos depois de ter estado na Macedônia e Acaia (50 d.C.), Paulo se despede dos crentes de Éfeso e volta àquelas regiões. Teria visitado Filipos, Tessalônica, Bereia, Atenas e Corinto? Teria se encontrado com Lídia, com a adivinhadora e com o carcereiro em Filipos? Com as “muitas senhoras da alta sociedade” e Jasão em Tessalônica? Com os pesquisadores das Sagradas Escrituras de Bereia? Com os filósofos epicureus e estoicos, com Dionísio e Dâmaris em Atenas? Com Tício Justo e Crispo em Corinto? Teria prolongado a viagem até as regiões de Ilírico e Dalmácia (hoje conhecidas como Iugoslávia e Albânia), como se deduz de sua informação de que pregou o evangelho de Jerusalém até o Ilírico (Rm 15.19)?
O que o livro de Atos revela com certeza é que o apóstolo “atravessou aquelas regiões, animando muito com as suas mensagens os cristãos” (20.2). Outros verbos enriquecem essa informação: Paulo fortaleceu, encorajou e exortou. Fez isso detidamente e com frequência, por meio de mensagens, muitos discursos, muitas palavras, muitas alocuções e muitas exortações. A característica de Paulo é que ele ganhava almas e também cuidava delas.
Porém esse rico e abençoado ministério não foi fácil, como ele mesmo conta: “Mesmo depois de termos chegado à província da Macedônia, não descansamos nada. Em todos os lugares houve problemas, lutas com os de fora e medo no nosso coração. Porém Deus, que anima os desanimados, nos animou com a chegada de Tito” (2Co 7.5-6).
 >> Retirado de Refeições Diárias: no Partir do Pão e na Oração. Editora Ultimato.