terça-feira, 4 de junho de 2013

Cantores da Noite


"Mas ninguém diz: 
Onde está Deus meu Criador, que inspira canções durante a noite" 
(Jó 35:10).


Existem dois pequenos pássaros que retratam bem o espírito da canção. Um é a cotovia que saúda o dia com música logo que acorda pela manhã. O outro pássaro é o rouxinol. Este pequeno pássaro de cores escuras, esconde-se nos arbustos e não canta muito de dia. Mas, quando escurece, ele entoa sua bela e terna canção noturna.

No reino espiritual, como no mundo natural, os cantores do dia são mais numerosos que os cantores da noite. Mas seguramente, quando cantamos em tempos de escuridão, glorificamos muito mais ao nosso Deus.

Louvar a Deus quando estamos com saúde, quando nossa família está bem, quando temos um bom emprego e muito dinheiro, é muito fácil. Mas o que dizer quando não estamos empregados, quando há problemas em casa, quando os amigos se afastam? É nesta hora que nossa fé é verdadeiramente testada. Só aqueles que estão comprometidos com Cristo são capazes de cantar durante a noite.

Mesmo que estejamos enfrentando uma longa noite escura em nossas vidas, jamais deixemos de louvar e glorificar ao Senhor. A escuridão se dissipará, o sol voltará a brilhar e o céu se tornará azul em nossa existência.

Quando confiamos em Jesus e buscamos viver em Sua presença, somos perfeitamente capazes de cantar na escuridão!

Paulo Roberto Barbosa. 

---------------------
Mt 26.30 - E tendo cantado um hino, saíram para o Monte das Oliveiras.

At 16.25 - Pela meia-noite Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, enquanto os presos os escutavam.

Sl 40.1 - Esperei com paciência pelo Senhor, e ele se inclinou para mim e ouviu o meu clamor.
2 Também me tirou duma cova de destruição, dum charco de lodo; pôs os meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos.
3 Pôs na minha boca um cântico novo, um hino ao nosso Deus; muitos verão isso e temerão, e confiarão no Senhor.

Jz 5.12 - Desperta, desperta, Débora; desperta, desperta, entoa um cântico; levanta-te, Baraque, e leva em cativeiro os teus prisioneiros, tu, filho de Abinoão.

Sl 32.7 - Tu és o meu esconderijo; preservas-me da angústia; de alegres cânticos de livramento me cercas.