sábado, 19 de fevereiro de 2011

Oração ...


"Deus, conceda-me a serenidade
para aceitar aquilo que não posso mudar;
a coragem para mudar o que me for possível
e a sabedoria para saber discernir entre as duas.
Vivendo um dia de cada vez,
apreciando um momento de cada vez,
recebendo as dificuldades como um caminho para a paz,
aceitando este mundo cheio de pecados como ele é,
assim como fez Jesus,
e não como gostaria que ele fosse,
confiando que o Senhor fará tudo dar certo
se eu me entregar à Sua vontade,
pois assim poderei ser razoavelmente feliz nesta vida
e supremamente feliz ao Seu lado na outra. Amém".


(Reinhold Niebuhr)

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Escreva na areia!



Era uma vez dois amigos que viajavam pelas montanhas da Pérsia. Certa manhã chegaram às margens de um grande rio. Ao tentar atravessá-lo, o jovem Mussa caiu em suas águas e como não sabia nadar começou a se afogar. Ao ver o amigo naquela situação, Nagib atirou-se nas correntezas e conseguiu salvá-lo. Logo que se recuperou do susto, Mussa chamou os seus ajudantes e ordenou que escrevessem na maior pedra do lugar esta legenda:
 "Viajante, neste lugar, durante uma viagem, Nagib salvou heroicamente o seu amigo Mussa."
A viagem continuou e meses depois quando regressavam e atravessavam o mesmo rio, resolveram passar ali a noite. Sentados na areia, puseram-se a conversar. De repente surgiu uma desavença e uma discussão começou. Nagib, exaltado, num ímpeto de cólera, esbofeteou o amigo. Mussa tomou o bastão e escreveu na areia ao pé da grande pedra:
"Viajante, neste lugar durante uma viagem, Nagib por motivo fútil injuriou gravemente o seu amigo Mussa."
Surpreso e irritado, um dos seus ajudantes comentou:
"Senhor, na primeira vez para exaltar a abnegação de Nagib, o senhor mandou gravar para sempre na pedra o feito heróico. E agora que ele acaba de ofender-vos, vos limitais a escrever na areia incerta o ato de covardia? A primeira legenda ficará para sempre, mas esta, antes do despertar do dia, já terá desaparecido com o vento..." Mussa respondeu:
"É que o benefício que recebi permanecerá para sempre em mim, mas a injúria, escrevo-a na areia para que, quando depressa apagar-se, depressa também desaparecerá da minha lembrança."

Essa história, mostra como a raiva pode danificar as relações. Responda rapidamente a estas perguntas: Você é pavio curto? Tem cabeça quente? Perde constantemente a paciência? Leva tempo demais para recuperar-se de uma ofensa? Fica sempre furioso quando é criticado? Quando fica frustrado tem vontade de bater em alguém? Se a maioria das respostas foram afirmativas, é sinal de que o "bichinho" da raiva fica picando você constantemente.
A sociedade moderna defende a expressão da raiva como algo positivo e saudável: Não se deve levar desaforo para casa, faz mal para a saúde.
Churchill dizia justamente o contrário: "Ninguém jamais teve dor de estômago por engolir palavras cruéis que deixou de dizer." Cuidado com a catarse, com a moda de por tudo para fora. Nesse "vômito" enfurecido destruímos meio mundo e depois temos que recolher os cacos. Ficamos com o saldo da raiva - relacionamentos desgastados pelas besteiras que fizemos:
 "Aquele que facilmente se ira faz doidices"  - Provérbios 14:17.

Lembre-se do que diz a Bíblia: "Se você ficar com raiva, não deixe que isso o faça pecar e não fique com raiva o dia todo." Efésios 4:26. Não deixe a raiva ocupar grandes espaços no seu coração; quando ela bater em sua porta, aprenda a escrever na areia.

Muita paz!!!!