sexta-feira, 27 de março de 2009

Mente Aberta!


É bom pensar. Acreditar. Ter convicções e e fundamentos sólidos. Mas como Cristo é melhor amar. A Verdade, os fundamentos, as pessoas, a Deus. É importante se abrir, com uma constante renovação da mente, ao que muitas vezes pensávamos nos ferir, mas que nos acrescenta quando se deixa tocar pelo olhar, pelas mãos, pelo toque singular de Cristo Jesus. Brennan Manning expõe com facilidade sobre a mente aberta em seu livro O Evangelho Maltrapilho.

"Se mantermos a mente aberta como a de uma criança, desafiamos idéias estabelecidas e estruturas rígidas, incluindo as nossas. Ouvimos pessoas de outras denominações e religiões. Não encontramos demônios naqueles de quem discordamos. Não nos aconchegamos a gente que balbucia nosso jargão.
Se somos abertos, raramente recorremos ao ou isso ou aquilo: ou criação ou evolução, ou a liberdade ou a lei, ou o sagrado ou o secular, ou Beethoven ou Madonna. Permanecemos focalizados em ambos e em e, plenamente conscientes de que a verdade de Deus não pode ser aprisionada numa definição pequena.
É claro que a mente aberta não aceita tudo indiscriminadamente - marxismo ou capitalismo, cristianismo e ateísmo, amor e luxúria, Moët Chandon e vinagre. Ela não absorve todas as proposições igualmente, como uma esponja, nem é um molenga como uma. A mente aberta, porém, percebe que a realidade, a verdade e Jesus Cristo são inacreditavelmente sem limitações."

quinta-feira, 26 de março de 2009

Definição maravilhosa de Avivamento!


Reavivamento é uma visitação inteiramente sobrenatural do Espírito soberano de Deus, pela qual uma comunidade inteira toma consciência de sua santa presença e é surpreendida por ela. Os inconversos se convencem do pecado, arrependem-se e clamam a Deus por misericórdia, geralmente em números enormes e sem qualquer intervenção humana. Os desviados são restaurados. Os indecisos são revigorados. E todo o povo, inundado de um profundo senso de majestade divina, manifesta em suas vidas o multifacetado fruto do Espírito, dedicando-se às boas obras”.

(John Stott - Revista Ultimato, Ano XLII – nº 317, Março2009)

quarta-feira, 4 de março de 2009

AJUSTANDO AS VELAS



Em momentos de grandes tempestades os navegantes ajustam as velas, afim de controlar a fúria do vento e da tempestade. Nós cristãos, muitas vezes somos pegos de surpresa por ondas violentas, que vem e destroem nossa força, esperança e vigor.

Para que não sejamos destruídos pelas tempestades da vida, temos que estar alicerçados na rocha, que é Jesus, pois na areia facilmente desmoronaremos.

Estava eu a poucos dias, diante de uma grande tempestade e imaginei que não sairia da mesma facilmente. Não tinha forças nem ânimo pra lutar, somente olhava pro Senhor e dizia: "Pai, me ajuda, não irei conseguir sair dessa tribulação sem Ti, nesse momento me sinto como se o mundo tivesse desabado sobre mim... Pai, não tenho forças, preciso de ti, preciso do teu amor...". E Deus ouviu meu clamor, e me renovou de força e ânimo. Foi como se Ele dissesse: filho meu ajuste as velas! E eu entendi e vi que bastava eu colocar meu coração em sua palavra e deixar Ele dirigir minha vida. Também foi necessário eu reconhecer que havia algumas coisas no destino errado e que precisava ajustar as velas, para ir no caminho certo do Senhor.

Quando ajustamos as velas do nosso coração, dos nossos desejos e vontades de acordo com a direção do Senhor, o destino é bênçãos e vitórias. Do contrário será tristeza, decepção e derrotas.

O pessimista, queixa-se do vento, o otimista espera que mude, o realista ajusta as velas.

Seja realista e ajuste as velas de sua vida e esteja no centro da vontade de Deus, e Ele certamente te dará vitórias.

Autor: Hélio Martins